7.4.09

and now... the misconceptions!

"false facts are highly injurious to the progress of science, for they often endure long; but false views, if supported by some evidence, do little harm, for everyone takes a salutary pleasure in proving their falseness; and when this is done, one path towards error is closed and the road to truth is often at the same time opened."
charles darwin


fui introduzido ao conceito de misconceptions há alguns meses pelo prof. ranvaud, da usp.
a princípio a idéia veio da educação, no qual os seguintes itens caracterizam-na:

1. a idéia é muito difusa (arbitrariamente, talvez >20% dos alunos)
2. resiste a mudança (os alunos confabulam desculpas pra mostrar que estão certos)
3. convive com outros conceitos que são terminantemente incompatíveis com a misconception em questão
4. é grave, uma verdadeira ameaça à integridade da estrutura cognitiva em que aquela área está montada para a pessoa

porém, não só na educação isto ocorre, mas muitos conceitos ou pré-conceitos e pensamentos intuitivos reforçam essas tais concepções errôneas, podendo haver onde quer que o conhecimento humano exista.

alguns exemplos crassos relacionados à biologia:
- a teoria da evolução aborda a origem da vida
- machos de outras espécies são aptos a se reproduzir o ano todo assim como humanos.
- o cérebro humano apresenta 100 bilhões de neurônios
- cobra = serpente
- pássaro = ave
- ecologia = ambientalismo

o fato é que tanto o conhecimento popular como o meio acadêmico está sujeito às misconceptions.

talvez haja algum valor adaptativo nisto, pois não temos acesso a todas as informações que precisamos o tempo todo, precisando de extrapolações a partir do que temos em mãos.

então vou relatar aqui uma misconception pessoal que só me dei conta durante minha graduação quando, devido ao meu tcc com territorialidade de coruja-buraqueira (Athene cunicularia), tive mais contato com a ornitologia. o fato é que aves não dormem em ninhos a vida toda, como muitos desenhos me induziram a pensar durante um bom tempo.
aves dormem, geralmente, empoleirados em árvores conhecidas, apropriadamente, como dormitórios, ou então dormem no chão e no máximo em buracos, conforme os hábitos e plasticidade da espécie.

passarinho dormindo em comedouro (foto)

o ninho é um importante detalhe do comportamento reprodutivo das aves, o qual serve para oviposição, incubação, eclosão, proteção ao filhote que ainda não tem penas, até que o filhote se emancipe (aprendendo a voar e se alimentar por conta própria). após este período, as aves caem fora do ninho, abandonam-na, podendo retornar para o mesmo ninho, contruir um novo ninho ou até mesmo utilizar um outro ninho na próxima estação reprodutiva.

...são enormes detalhes que fazem toda diferença.

Nenhum comentário: