6.5.09

sujeira no encantado mercado farmacológico

quando ler non solus no logo da elsevier lembre-se que ela pode estar com más companhias.
esta é uma montagem (com as logomarcas da merck e elsevier) meramente artística

sempre ouço falar de histórias arrepiantes envolvendo o mercado farmacológico, como as atrocidades que ocorrem na África.

mas desta vez é um pouco diferente, não sei se mais grave, porém diferente.
através da ScienceBlogs, li que a Elsevier - uma das maiores editoras de periódicos de ciências, tecnologia e saúde - publicou em 2003 e 2004 alguns números de um periódico falso nomeado Australasian Journal of Bone and Joint Medicine, no qual os artigos e peer reviews ali contidos, basicamente mostravam dados que favoreciam produtos da Merck, ou seja, houve uso indiscriminado da credibilidade da Elsevier como ferramenta de marketing. as quantias envolvidas de verdinhas obviamente não são conhecidas, mas considerando o tamanho das duas empresas, não deve ter sido pouca coisa envolvida no esquema.

O caso foi divulgado há quase um mês, pelo jornal online the australian, porém só teve repercussão maior quando a the scientist divulgou (semana passada) um texto sobre o assunto. (um rápido cadastro permite o acesso ao texto, que contém 2 pdfs para o leitor verificar a safadeza com os próprios olhos)

outros textos sobre o assunto podem ser vistos no bioethics, e nos blógues do ScienceBlogs.

entrei no site da merck e tá escrito logo de cara: merck & co., inc. is a global research-driven pharmaceutical company dedicated to putting money!!! patients first. bem bacana, não achei que existisse qualquer empresa farmacêutica com um propósito tão nobre.

---updated---

elsevier assume a publicação de 6 periódicos falsos (listados logo abaixo), via the scientist

Australasian Journal of General Practice
Australasian Journal of Neurology
Australasian Journal of Cardiology
Australasian Journal of Clinical Pharmacy
Australasian Journal of Cardiovascular Medicine
Australasian Journal of Bone & Joint Medicine

Nenhum comentário: