14.2.10

lagos salgados e desastres antrópicos

os lagos salgado são corpos d'água formados por rios endorréicos que desaguam numa bacia. rios endorréicos são aqueles que correm para dentro do continente ao invés de desaguar no mar.
na bacia ocorre a formação de um lago, porém este lago só recebe água, sem haver qualquer saída exceto pela evaporação. desta forma, a água tem sais e minerais que se tornam cada vez mais concentradas, tornando a água salgada.

em regiões semi-áridas este tipo de formação é altamente cobiçada, já que as águas doces dos rios poderiam alimentar campos de cultivo, complementando a economia local.porém, algumas vezes o sistema de irrigação em regiões semi-áridas pode não considerar consequencias ecológicas, econômicas, sociais e de saúde pública e acabam gerando catástrofes notáveis, o caso mais bem ilustrado da história humana é o do mar de aral.

mar de aral

o mar de aral se situa entre cazaquistão e uzbequistão, na ásia central e já foi considerado o quarto maior lago salgado do mundo, com extensão de 68 mil km² e 31m de profundidade, era alimentado por rios que formavam pelo degelo das montanhas da ásia central; porém, desde a década de 1960, parte dos rios foram desviados principalmente para irrigar plantações de algodão (conhecido como "ouro branco"), constituindo o maior projeto de desvio de curso de água da união soviética. apesar desse desvio ter permitido o florescimento do deserto, isso devastou o mar de aral. a consequência a longo prazo é que nos últimos 30 anos o lago perdeu mais de 60% de seu tamanho original.

fotografia de satélite de parte do mar de aral em três tempos distintos: 1973, 1987 e 2000, mostrando a progressiva redução do mar de aral (fonte) - clique para ampliar

a vazão de água recebida pelo mar de aral era de 50 km³ de água doce em 1965, e no início da década de 1980, esse volume caiu a zero! consequentemente os sais e minerais desse "mar" começaram a se concentrar cada vez mais, alterando toda ecologia do local e afetando negativamente as populações de peixes, reduzindo-as drasticamente.
a indústria pesqueira era bem forte na região empregando cerca de 60 mil pessoas, porém a redução dos rios que ali desaguavam fez esta indústria cair vertiginosamente, sendo extinta no início da década de 1980.

embarcação pesqueira abandonada nas proximidades do mar de aral. (fonte)

a redução do lago alterou também o clima e, consequentemente, as estações para cultivo encurtaram. na agricultura local o algodão não tinha mais o clima apropriado e o arroz passou a ser a alternativa imediata, exigindo demandas ainda maiores de água.

as consequencias secundárias desta tragédia ambiental é que os fortes ventos que sopram na ásia central retira e deposita dezenas de milhares de toneladas de partículas da bacia todo ano, encolhendo ainda mais o mar de aral, além disso, os ventos trazem fertilizantes e outros agroquímicos que além de contaminara bacia do lago ainda se torna um risco à saúde pública (já que os intensos ventos levantam estes tipos de partículas sendo posteriormente respirados pelos ex-pescadores desempregados) e ainda leva sais e minerais que inviabilizam ou dificultam outras áreas cultiváveis no entorno. 

o desemprego e a pobreza ainda força a economia local a depender de exportações de suprimentos que não podem mais ser adquiridos ali.

a secura e a última tentativa de salvar o lago
conforme o lago foi encolhendo, lagos menores foram se formando. e alguns desses "sublagos" chegaram mesmo a secar de vez. nessa iminente morte inevitável o banco mundial financiou pro cazaquistão construir (em 2005) uma barragem entre os dois lagos principais (norte e sul), para ao menos tentar salvar uma parte do que um dia foi o quarto maior lago salgado do mundo. esta é na verdade uma sentença de morte para a parte sul do lago, já que agora toda água que vem do degelo das montanhas agora fica restrito apenas à porção norte. pelo menos esta parte do plano está dando certo.

foto do mar de aral em 2009. a linha preta indica o tamanho original da década de 1960 (fonte)

para ter uma idéia de como o mar de aral encolheu na década passada confira esse link aqui. nesse link é mostrado a foto panorâmica anual do período entre 2000-2009, e dá pra ver como a porção sul (maior) já foi pro brejo (vide foto acima) , enquanto a pequena porção norte (das fotos abaixo) começa aos poucos a expandir a partir da construção da barragem em 2005.

porção norte mantido pelas barragens construídas em 2005. (fonte

da próxima vez que v. ouvir falar em irrigação para o boom agrícola de uma região semi-árida (e.g. rio são francisco) já sabe o que pode se esperar numa das piores hipóteses: perda de populações de animais, riscos de saúde pública, contaminação de água e solo por agrotóxicos e por aí vai

para entender mais profundamente o caso do mar de aral acesse aqui

fontes consultadas

Um comentário:

Anônimo disse...

mais uma vez o homen fazendo cagada....lamentavel....mas nao tem nada a ver com a transposiçao do rio sao francisco...ate pq o chico desemboca no mar e o Atlantico nao iria secar por isso rsrsrs.......ab