24.1.09

ceratopogonídeos - porvinhas

we suck blood! - pt.2

Ceratopogonidae é a família da Ordem Diptera em que as espécies hematófagas são conhecidas como maruim, mosquito pólvora, porvinhas,
pólvora, meruim, miruim, bembé, catuqui, catuquim, meruí,meurim, muruim, mosquito-do-mangue, mosquitinho-do-mangue.dentre outros nomes populares. dentro desta família o maior gênero é o Culicoides - sendo cosmopolita, excetuando antártida e nova zelândia -, no brasil ocorre ainda o gênero Focipomyia subgêneros Lasiohelea e Leptoconops.

estas espécies ocorrem preferencialmente em temperaturas acima de 25º C, umidade acima de 80% e pouco vento, alimentando-se sempre próximos a áreas de reprodução.

o horário de atividade parece variar de acordo com o local havendo relatos tantos de atividade o dia todo como só durante o dia, com picos de atividades também variáveis.
a principal espécie que ataca o homem no brasil é a Culicoides paraensis (Goeldi,1905) - descrito pelo grande naturalista emílio goeldi -, correspondendo a mais de 90% de ocorrências de picadas de porvinhas

distribuição geográfica de C. paraensis na américa
figura retirada de felippe-bauer et al.


este animal tem importância epidemiológica em humanos por ser vetor da febre oropouche além da filariose causada por Mansonella ozzardi. apesar desta última não ser patogênica, sua identificação é importante para se diferenciar suas microfilárias das de Wuchereria bancrofti, causadoras da elefantíase e transmitida pelo mosquito Culex sp.
já a febre oropouche é mais grave, causado pelo vírus de mesmo nome. estima-se que entre 1961 e 1996 o vírus tenha infectado mais de 500mil pessoas somente na amazônia brasileira. os sintomas são cefaléia, dor muscular, nas articulações, pode ocorrer meningite asséptica, sem óbitos nem sequelas. esta é uma doença reemergente ocorrendo algumas epidemias nos últimos anos, mais de duas décadas após a última epidemia.

e finalmente temos uma foto legal do famoso porvinha:
Culicoides sp, é bom lembrar que esse bicho mede 1 - 3 mm - fonte

no trabalho de felippe-bauer e colaboradores há uma chave de identificação de espécies do grupo paraensis no qual descrevem sempre a presença de 18 dentes na mandíbula, isso me fez perceber que deve ser por esse tipo de aparato bucal - mordedor ao invés de simplesmente picador - que o porvinha sempre causa um grande estrago onde ele suga o sangue. em inglês esta suposição é muito mais lógico, pois porvinha são conhecidas como biting midges, ao passo que nós chamamos erroneamente tal processo hematofágico como "picada".

além disso a saliva é constituída por diversas proteínas que causam edema, vasodilatação e prurido. juntamente a isto tudo ainda há proteínas com efeito anticoagulante.

sabendo de tudo isto é fácil entender o estrago que a mordida deste animal causa em nossa pele. para piorar o visual da mordida há pessoas que ainda têm (isso ainda tem acento??) reações alérgicas que variam muito de intensidade.

fontes consultadas
-
the Parnopoid Orders in Entomology 3rd ed. - gillott, cedric (2005)
- ocorrência de espécies de Culicoides Latreille (Diptera, Ceratopogonidae) na área metropolitana de são luis, maranhão, brasil - vera l. l. de barros, robert m. marinho, josé m. m. rebêlo - caderno de saúde pública rj (2007).
- maruins (ceratopogonidae: diptera) do estuário do rio pará e do litoral do estado do pará, brasil - rosemeire lopes da trindade e inocêncio de sousagorayeb - entomología y vectores (2005)
- descontrole de maruins - a notícia (2007)
- two new culicoides of the paraensis species group (Diptera:Ceratopogonidae) from the amazonian region of peru
- maria luiza felippe-bauer, abraham g. cáceres, cristiane s. silva, william valderrama-bazan, antero gonzales-perez - memórias do instituto oswaldo cruz (2003)
- mansonella ozzardi - site da ufrgs
-
oropouche fever epidemic in northern brazil: epidemiology and molecular characterization of isolates - helena b. vasconcelos, raimunda s. s. azevedo, samir m. casseb, joaquim p. nunes-neto, jannifer o. chiang, patrick c. cantuária, maria n. o. segura, lívia c. martins, hamilton a. o. monteiro, sueli g. rodrigues, márcio r. t. nunes, pedro f. c. vasconcelos - journal of clinical virology (2008)
- reemergence of oropouche fever, northern brazil - raimunda do socorro da silva azevedo, márcio roberto teixeira nunes, jannifer oliveira chiang, gilberta bensabath, helena baldez vasconcelos, ana yecê das neves pinto, lívia carício martins, hamilton antônio de oliveira monteiro, sueli guerreiro rodrigues, and pedro fernando da costa vasconcelos - emerging infectious diseases (2007)
- Collection and analysis of salivary proteins from the biting midge Culicoides nubeculosus (Diptera: Ceratopogonidae) - Langner KF, Darpel KE, Denison E, Drolet BS, Leibold W, Mellor PS, Mertens PP, Nimtz M, Greiser-Wilke I - Journal of Medical Entomology (2007)

22 comentários:

rosapink disse...

mesmo sendo tao minusculo ele tem mandibulas?

glenn makuta disse...

Sim!e com vários dentes...
não é o máximo?

Ieda disse...

Gostei da matéria, fui picada por um inseto desses no dia 02/07/10 e no dia seguinte logo cedo precisei correr ao pronto socorro tamanho ficou a minha mãe, parecia elefantíase, tão vermelha e muita coceira.

Abraço

Anônimo disse...

gostaria de saber qual o tratamento para após a picada, augusto.moreno@click21.com.br.

ana paula garcia disse...

já fui mordida por esse pequeno inseto.pequeno só no tamanho porque o estrago que ele faz é enorme.fiquei com a perna toda inchada e vermelha.parecia que tinha fogo queimava pra caramba...

Anônimo disse...

as pessoas aqui no para no son afectadas con a picada, mais como extrangero eu fico todo irritado y a cosera e un inferno se voceis conhecen una forma de prevenir aleim de se cubrir totalmente me contan

Anônimo disse...

A reportagem é interessante, mas a foto postada é de um Simulium sp e não um Culicoides sp. Culicoides possuim asas manchadas e antenas com maior numero de segmentos e formato diferente.

Jusci disse...

Gente não sei se é o mesmo mas lá no sítio do meu pai em Juquiá tem um bichinho que parece uma pulga de tão minúsculo o povo de lá diz que é porvinha....e vou falar, minha família nem quer ir mais passear lá por causa dos benditos que arrasa mesmo,começo do ano passado voltei com tantas picadas que parecia catapora e depois viraram feridas e depois cicatrizes que me deixou com vergonha por um bom tempo.Esse ano tentamos ir, tomamos complexo B, levamos uma tonelada de repelente e lá vem todo mundo pra São Paulo se coçando e cheio de perebas denovo.Estamos muito chateados porque nossa família gosta muito de se reunir lá nas férias e passar alguns dias juntos mas assim ninguém quer ir mais.

Anônimo disse...

Existe um veneno chamado Responsar, é tiro e queda, acabei com o problema

Roberto da Nova disse...

E qual a maneira mais eficiente de acabar com essa praga chamada maruim?

Anônimo disse...

Vim passar as ferias na casa da minha avó e aqui tem muito desses bichos !eu to todo vermelho de tantas mordidas kkkkk

Out of the closet! disse...

Realmente está muito difícil ir para Juquia, Vale do Ribeira-SP. A única solução é se cobrir dos pés ao pescoço ( curioso que não atacam o rosto e somente durante o dia) . A noite é o único periodo de paz. Nem pernilongo e borrachudo incomoda tanto!

Anônimo disse...

So da darra do braço e sei muito bem como é iso

Eos disse...

Esta praga infestou minha casa e os arredores e está difícil de eliminar

Luiza Pelegrini disse...

Estes maruins infestaram minha casa e arredores, está difícil de combatê-los, não funciona nenhum repelente e nenhum inseticida, eles são adaptáveis com as situações. Fiz armadilhas, agora tenho de mudar o sabor delas porque eles não caem mais. Moro em Florianópolis e nossas mais de 40 praias devem ser o paraíso para eles! Sou alérgica, estou desesperada!

Anônimo disse...

moro no vale do ribeira e minha casa ta tendo esse maruim, nao sei como eliminar

Anônimo disse...

Mosquitinho dos infernos...nada mata esta praga. Picam através das roupas, entram nos cabelos, coça, incha, incomoda, fecha a garganta, dá falta de ar, tosse... meu Deus, nunca vi coisa igual. Não adianta repelente algum. Solução para o problema: - vou mudar de casa. socorrooooo...

Marilia Damasceno disse...

Só queria saber uma forma de como matar eles. Há atualmente diversas campanhas de combate ao carapanã que transmite a dengue e nada em relação ao maruim. Sou alérgica a esse inseto, minha casa é toda telada, recebo praticamente uma ferrada diariamente, isso se intensifica nos períodos de chuva. Moro no Pará. Queria saber como acabar com a larva, de iscas.. quero acabar com a espécie desse mostro. Por favor alguém me ajuda!!

Marilia Damasceno disse...

Só queria saber uma forma de como matar eles. Há atualmente diversas campanhas de combate ao carapanã que transmite a dengue e nada em relação ao maruim. Sou alérgica a esse inseto, minha casa é toda telada, recebo praticamente uma ferrada diariamente, isso se intensifica nos períodos de chuva. Moro no Pará. Queria saber como acabar com a larva, de iscas.. quero acabar com a espécie desse mostro. Por favor alguém me ajuda!!

ROZANA BARCELLOS disse...

Oi pessoal. O tal marui tem algum predador natural? Pelo jeito ele está no topo da cadeia alimentar... Moro em Floripa, num bairro onde boa parte era mangue e outra parte ainda o é. No verão é um inferno. Por favor, alguém pode me dizer que animal pode se alimentar desse monstro minúsculo?

Unknown disse...

Onde encontrar

Anônimo disse...

Pessoal, quem diz que a casa é telada, mas não está adiantando nada, digo que se o espaçamento da tela for de 1mm para cima, o maldito do bichinho consegue passar. Tem que ser de 1mm para baixo. Estou usando tela de 0,6mm e está bloqueando a passagem do mosquito. Procure por telas anti afídeos. Boa sorte.